Construíndo – Baluns e Long Wires

Publicado: julho 4, 2015 em Uncategorized
Tags:, , ,
Os baluns têm motivado muita escrita pelo que vou tentar ser prático e deixar a teoria para os especialistas, no fundo os Baluns são transformadores de Impedâncias (convertem Impedâncias diferentes para os 50 Ohm dos transceptores de rádio/cabo coaxial). O mais usual é o que tem relação 1:1 adaptando 50 para 50 Ohm mas de um sistema balanceado – próprio das antenas e linhas abertas, para o desbalanceado/desequilibrado do cabo coaxial 50 Ohm.  O artigo antigo da revista 73s abaixo ilustrado, mostra o mais simples balun relação 1:1 – simples e eficiente pois não tem as perdas dos enrolamentos e nucleos de ferrite, o efeito do Balun é simplesmente equilibrar a antena ao cabo coaxial de alimentação evitando radiação pela malha do coaxial, que produz interferencias e altera o diagrama de radiação da antena:

Antenas Long Wire – Arame/Fio comprido, associadas aos Baluns “Magnéticos” tem suscitado muito interesse pela facilidade e flexibilidade de construção. Não são ideais mas por vezes são o unico recurso entre estar operacional ou não!

Um dos grandes problemas destas antenas é o RF que volta para o transceptor e para as redondezas e vizinhança, pode-se combater com algum êxito este problema com ligações à massa do Balun, bobines/choque do cabo coaxial de alimentação, etc.
Por especial deferência a um grande Radioamador amigo e para juntar informação em português para quem precisa, aqui ficam algumas reflexões práticas sobre este tipo de antenas e transformadores de Impedância associados, a que vulgarmente chamamos Baluns Magnéticos.

(Fig.1) – Tabela com os comprimentos do fio metálico a ligar á tomada do Balun (borne vermelho).

Esta a tabela de referência com as medidas do fio metálico à saida da caixa do Balun (coluna esquerda em metros, origem num trabalho prático de Radioamadores Suissos). Valores Ondas Estacionárias nas diferentes bandas (linhas horizontais). Linha amarela p valor ideal!
(Fig.2) aspecto de um balun construído e ligado dentro de uma caixa isoladora – o toróide ferromagnético é circular mas pode ser utilizada a barra cilindrica em ferrite (utilizei com sucesso os 3 fios do enrolamento enrolados entre eles em trança e rodearem a barra de ferrite em 8 espiras, com 16,2 metros de fio na diagonal trabalhei muitos QSOs nacionais e ibéricos nos 160 mtr de forma regular.
Este tipo de antenas não são milagrosos e têm bastantes perdas, mas para quem não pode ter outro tipo de antena são simples e discretas!). Melhor resultados podem ser obtidos se configurado em antena vertical, Balun na base e o fio metálico na vertical apoiado por exemplo numa cana de pesca!
(Fig.3) – Esquema de construção e ligação do Balun, no fundo são 3 enrolamentos (enrolamento trifilar), ligados em série com 5 a 8 espiras/voltas. Um enrolamento liga entre centro do coaxial e a massa, os outros dois enrolamentos estão em série e ligam ao fio metálico da antena. Relação de transformação de Impedâncias ideal será de 9 para 1 (450 para 50 Ohm, claro que isto não acontece nas bandas todas por isso os valores diferentes de Relação de Ondas Estacionárias com o Balun relação 9:1).
Abaixo o meu artigo original publicado na Revista QSP, a versão final do Balun enrolado num cilindro de ferrite funciona bem (construi muitas unidades para amigos). Relembro-me de ter um fio comprido com 18 mtr sens.com um destes baluns e para além de fazer QSOs sem problemas nos 3,7 MHz também mantinha QSOs regulares nos 1,845 MHz com CTs e por vezes com EA4, EA3 em móvel!!!

Recebi do Machado – CT1BAT, este esquema que originou uma explêndida construção conforme fotos abaixo. Já estive em contactos nos 160, 80 e 40 mtr e posso atestar que funciona razoávelmente nestas bandas, tendo mesmo testemunhado um contacto em 160mtr com EA1 e sinais de 5-9S + +. Achei curioso este esquema de construção pois é diferente do tradicional:

“O resultado (muito melhor!) não tem nada a ver com os baluns de ferrite ou mesmo com outros esquemas toroidais que tenho experimentado.
Digamos que me custou um euro e meio! (6 FT-114-43 custam cerca de £6 no eBay já com transporte incluído)
Dispensa bem o fio de terra com x mts (faz terra pelo coaxial)
Resultado: faz todas as bandas, inc as WARC, sem sintonizador de antena com uma ROE entre 1.1.1 e 1.1.3 (com exceção dos 80 onde a ROE vai aos 2.0)
comentários
  1. joaodamasceno disse:

    Algo que sempre me chamou a atenção… Qual a finalidade, o objetivo de se utilizar de um balun (ou mais corretamente, um inundou 1:1) se dessa forma não haverá mudança nas impedâncias anteba/receptor? Outro questionamento meu é o seguinte: tenho uma long wire de 40 metros e que a variação (atenuação) do sinal obtido é muito intenso, muito grande, pois bem, tenho uma bobina para simular na minha antena um fio de 10 metros a mais, também possuo um balun 9:1 (que segundo pesquisei, esses baluns de 9:1 não são ideais, e sim os de 4:1), minha pergunta é “será que com o uso desse balun, mesmo o de 9:1, eu consigo reduzir, minimizar os efeitos da tão forte atenuação do sinal que recebo no meu receptor? (ou o balun não funciona assim?!). P.S. Já possuo aterramento com haste de cobre com 2.4 metros. Obrigado.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s